Lp9 | Radiohead contagem regressiva #002 - "Identikit"

tumblr_n8pqd6WSJm1qd4dglo2_500

 

Radiohead Contagem Regressiva é uma coluna que mostra um pouca da nossa ansiedade por um próximo trabalho da banda e sim, Identikit foi uma das grandes novidade da tour The King Of Limbs de 2012. Thom Yorke & Cia estrearam a canção no American Airlines Arena em Miami e figurou em vários concertos neste ano. Quem sabe ela fará parte do alinhamento do Lp9.

 

Radiohead Releituras | "Where I End And You" por Night Drive

130912_SDG175456

 

A Radiohead Releituras desta semana convida Brandon Duhon e Rodney Connell para fazer a releitura do classudo petardo Where I End And You Begin do disco Hail To The Thief de 2003. A dupla é de Austin (Texas). O electro-pop da Night Drive teve seu debut com o EP Position I. A versão de Where I End And You acabou de ser lançada no site do grupo.

 

 

 

---

 

Website | Facebook

LP9 | Radiohead contagem regressiva #001 - "The Present Tense"

tumblr_m4g58lclWB1rsvop4o1_500

 

A banda entra em estúdio em setembro, como já anunciou o guitarrista Jonny Greenwood. Ansiedade batendo forte nos fãs da maior banda do planeta. Contagem regressiva para o nono disco do quinteto. Quais músicas “antigas”, esquecidas no tempo poderiam fazer parte deste novo trabalho? alguma dica?

 

Radiohead começa a gravar novo disco em setembro

Radiohead30DC140211

 

Jonny Greenwood já havia revelado que em 2014 o quinteto iria reunir-se para as gravações do sucessor de The King Of Limbs, lançado em 2011. Em entrevista à BBC Radio 6 Music “"Vamos começar em setembro a tocar, ensaiar, gravar e ver como tudo vai soar".

 

A última tour da banda foi em 2012, depois, Ed pediu um tempo para todo o grupo e foi dado, entretanto, Thom Yorke saiu em turnê com o Atoms For Peace, Colin viajou para a África do Sul, em projeto social, Phil Selway gravou seu segundo álbum e Jonny mergulhou mais ainda na música erudita. O que esperar de um novo disco do Radiohead?. Não sabemos. Mas esperamos que a próxima turnê venha ao Brasil novamente.

 

Fonte: NME | bbc

Office Chart Para os Pássaros

Thom postou mais uma office chart.

O vocalista do Radiohead continua a mergulhar nas profundezas eletrônicas onde o destaque fica por conta das músicas insanas de Luke Abbott (apelador de samples e beats minimalistas); mas nessa office Thom criou vários cenários, passando pelo punk dos Dead Kennedys e fechando com a delicadeza cristalina do duo-piano feminino Katia & Marielle Labèque.

Experimente algumas músicas para os pássaros:

1.your love will set you free  caribou
2.the balance of power  luke abbott
3. goliath featuring DRS  enei
4. terminal preppie  dead kennedys
5. superpositions  nathan fake
6. cure for the fever  jim brown
7. IIVA(NHK Remix)  Loops haunt
8. Amphis (reprise)  Luke Abbott
9. Le Jardin Féérique  Ravell / Katia & Marielle Labèque

http://radiohead.com/deadairspace/

Jonny em Glastonbury, aniversário do Colin, Thom e Takahashi e Ed O'Brien

SEMANA RADIOHEAD!!!

 

2014JonnyGreenwood_GREENWOOD_DB_7453260614

 

No primeiro dia do Glastonbury 2014, uma performance de Jonny Greenwood para celebrar o início dos trabalhos. O multi-instrumentista tocou seu trabalho solo, a nova canção “Loop” tudo ao lado da London Sinfonietta no Holts Stage. Confira o vídeo “quentinho”

 

 

 

 

---

 

tumblr_n7t5tq9PA41qa641uo10_500

Semana também teve aniversário do nosso querido baixista, colin completou 45 anos e é uma das figuras mais doces e enigmáticas do Radiohead. Suas linhas de baixo estão entre as mais classudas da nossa gereção, elegância e genialidade entre os dedos e a mente de um dos fundadores da banda.

 

---

 

tumblr_n7uabm4Thb1rudoe7o1_500Mais uma vez Thom & Jun Takahashi's juntos. Novidades à vista?

 

---

 

10492613_682734311800512_3543556622222972425_n

 

E para quem por ventura imaginava que Ed viesse para a copa aqui no Brasil, pelo jeito já está ansioso para entrar em estúdio para testar estes pedais em novas músicas do Radiohead.

 

---

 

Ps.: E ainda teve Phil lançado seu segundo álbum solo. !!!

Office Chart Radiohead Brasil | #0018

tumblr_n11uakQhHr1qc0s10o1_500

 

Preparado para mais um Office Chart Radiohead Brasil?. Então ok.

 

Tracklist:

 

Wilco - either way
Radiohead - The Big Switch
Jan Jelinek - Facelift
Massive Attack   Paradise Circus   Vinyl Rip
The Flaming Lips My Cosmic Autumn Rebellion
The National - Don't Swallow the Cap
Plaster 'Seber' [Stroboscopic Artefacts - SASTE002]
Elliott Smith - Alameda (from EitherOr)
Sbtrkt - The Unspoken
Floating Points - Peroration V
The Miserable Rich - Ringing The Changes - Sofar Berlin

 

---

 

Play

Nova música de Phil Selway | "Coming Up For Air"

tumblr_mfn4dlmKco1rsvop4o1_500

 

Ouça nova música de Phil Selway, do álbum  Weatherhouse. Com previsão de lançamento para o dia 06 de Outubro. O disco gravado em 2013 tem na canção "Coming Up For Air ' sua primeira audição.

 

 

Via | www.philipselway.com

 

---

 

screen-shot-2014-06-23-at-7-31-10-am

Phil Selway anuncia lançamento de novo disco "Weatherhouse"

screen-shot-2014-06-23-at-7-31-10-am

 

Nosso querido baterista  Phil Selway, anuncia o lançamento para outubro do seu segundo álbum, intitulado “Weatherhouse”´ pela Bella Union Records. Familial, lançado em 2010 surpreendeu muitos fãs do Radiohead, com a voz delicada e canções sensíveis ao lado de alguns membros da banda Wilco. O lançamento desta nova empreitada solo de Selway está previsto para o dia 6 de Outubro.

 

Weatherhouse Tracklist:


01. Coming up for Air
02. Around Again
03. Let It Go
04. Miles Away
05. Ghosts
06. It Will End in Tears
07. Don’t Go Now
08. Drawn to the Light
09. Waiting for a Sign
10. Turning It Inside Out

 

Aqui

Para Ouvir Lendo (Ou apenas ouvir) | Influências e confluências

tumblr_n4v9d6Rvoi1s6w2ago1_500

 

“Ninguém vai dizer que foi por amor”

 

 

Triste – acompanhado de cigarros, bebidas e medicamentos (ou seja, sozinho, como impreterivelmente estou em todos os momentos decisivos da minha vida) – finalmente aceito que o fone de ouvido, que por tanto tempo me acompanhou, não pode mais seguir comigo. No começo é sempre igual, a gente finge que não percebe as primeiras falhas e lapsos, faz vista grossa para os fios esgarçados, remenda o que é possível remendar. Mas em todas as noites estremecemos com a ideia de que, em pouco tempo, será a hora de se desfazer de mais um objeto-de-consumo. E nesse momento, eu sei, sou apenas eu que entendo a violência que essas palavras tão frias e criticadas são, frente ao meu fone de ouvido. Contra isso, nada posso fazer. Contrariado, coloco o novo fone (aquele que, por tempos, ficou ali naquela caixa, só para o caso dê.), estranho a nova anatomia. No todo, ele parece agressivo. A qualidade do som é boa, mas não se trata disso, porque nesse momento eu odeio cada pedaço desse ato sujo: o abandono, o fone intacto, o objeto sem marcas, o novo, a covardia do meu ato de deixa-lo ali à espreita, o fato de que todos os outros fones não podem mais estar comigo. Vencido, entendo que esse é o movimento da vida, principalmente aquela que é inscrita nesses nossos termos tão pós-modernos (e, por favor, um pouco de sensibilidade, não me fale agora da potência que reside nisso!), mas ainda dói. Aquele fone (daqui pra frente, meu fone anterior) me acompanhou por tantas horas, tantos quilômetros, por tantos momentos, tantas novas músicas favoritas, tantas escolhas... situações onde desacreditei de tudo e chorei vencido, ele estava ali, sem exigir nada, sem ser nada além da companhia necessária. Entendo que isso não é uma metáfora, é a própria vida que se repete nesse ato de finitude. Tudo passa e, em muitos momentos, os que nos acompanham vão deixar de ser antes de nós próprios. Não nos sobra mais do que, aceitando ou negando, reagir ao inexorável fim. Tentar enquanto podemos, seguir enquanto conseguimos. Até sermos o maldito fone de ouvido com defeito que tanto amor incitou e já não mais consegue continuar.

 

Quem escreve essas palavras dá mais um trago no cigarro e é surpreendido que, no seu ouvido, um novo fone estranho está. Fone que, no entanto, foi capaz de passar despercebido e ser fiel ao longo de palavras tão difíceis, sem pedir nada em troca, sem exageros. Modesto. É o início de uma nova volta na espiral do tempo, entre seres finitos, cientes de suas finitudes. Em um descuido, deixo cair o mp3 e, como se fosse um reflexo, temo pela integridade do fone que me conecta com meu mundo.

 

---

João Henrique Balbinot, paranaense de interior, gosta de viver rodeado de músicas, palavras e pessoas.  Quase sempre. Como escritor, é autor do livro de contos “No arco-íris do esquecimento” (Ed. Multifoco, 2012) e do livro de poesias “Pequenezas e outras infinitudes” (com previsão de lançamento ainda esse ano).

 

Blog: http://influir.wordpress.com/
Facebook: http://www.facebook.com/jh.balbinot
Last.fm: http://www.lastfm.com.br/user/joaohenriquebf

Livro:

http://www.editoramultifoco.com.br/literatura-loja-detalhe.php?idLivro=966&idProduto=995 (também disponível nos sites das livrarias Cultura e Travessa)

 

--

 

Imagem art: agatamarszalek